Explicando melhor o funcionamento do Instagram

By Adam Mosseri

8 de junho de 2021

É difícil confiar em algo que não entendemos. Por isso, queremos explicar melhor como funciona o Instagram. Existem muitas ideias equivocadas sobre o assunto, e reconhecemos que podemos nos esforçar mais para ajudar as pessoas a entender o que fazemos. Hoje, compartilhamos a primeira de várias publicações para explicar melhor como funciona a tecnologia do Instagram e como ela influencia a experiência das pessoas no aplicativo. Esta primeira publicação tem como objetivo responder a perguntas do tipo "Como o Instagram decide o que aparece primeiro para mim?", "Por que algumas publicações minhas recebem mais visualizações do que outras?" e "Como o Instagram decide o conteúdo que aparece para mim na seção Explorar?".

O que é "o algoritmo"?

Um dos principais equívocos que queremos refutar é a existência do tal "algoritmo". O Instagram não tem um algoritmo único que define o que as pessoas veem ou não no aplicativo. Na verdade, utilizamos vários algoritmos, classificadores e processos, cada um com um propósito. Queremos que você aproveite ao máximo o seu tempo no Instagram e acreditamos que usar tecnologia para personalizar a sua experiência é a melhor maneira de alcançar esse objetivo.

Quando foi lançado em 2010, o Instagram era um fluxo único de fotos em ordem cronológica. Porém, conforme mais pessoas começaram a usar o aplicativo, uma quantidade maior conteúdo era compartilhada. Então, para a maioria delas, era impossível ver tudo o que era publicado, principalmente as publicações pelas quais se interessavam. Em 2016, as pessoas não viam 70% das publicações no Feed e quase metade das publicações de amigos mais próximos. Por isso, desenvolvemos e implementamos um Feed que classifica as publicações com base no conteúdo que você considera mais relevante.

Cada parte do aplicativo (Feed, Explorar, Reels) possui o próprio algoritmo adaptado à maneira como cada pessoa a usa. As pessoas costumam usar o Stories para ver conteúdos publicados pelos amigos mais próximos. Já o Explorar é mais usado para a descoberta de novidades. Nós fazemos classificações diferentes em cada parte do aplicativo com base na forma como as pessoas a utilizam.

Como fazemos classificações no Feed e no Stories

Com o passar dos anos, aprendemos que o Feed e o Stories são lugares onde as pessoas desejam ver conteúdo dos amigos, dos familiares e de outras pessoas de quem são mais próximas. Seja qual for o algoritmo de classificação, esse funcionamento pode ser explicado em etapas.

Inicialmente, definimos o que deve ser classificado primeiro. Esse processo é mais simples no Feed e no Stories, pois se resume a classificar as publicações compartilhadas recentemente pelas pessoas que você segue. Há algumas exceções, como os anúncios, mas a grande maioria do que conteúdo exibido foi compartilhado por pessoas que você segue.

Em seguida, agrupamos todas as informações que temos sobre o que foi publicado, as pessoas que fizeram as publicações e as suas preferências. Chamamos essas informações de "sinais", e há milhares deles. Várias coisas podem ser um sinal, como o horário em que uma publicação foi compartilhada, se você estava usando o celular ou a web e a sua frequência de curtidas em vídeos. Os sinais mais importantes no Feed e no Stories são, em ordem aproximada de importância:

  • Informações sobre a publicação: são sinais que abrangem a popularidade de uma publicação (quantas curtidas ela recebeu) e informações mais concretas sobre o conteúdo, como quando ele foi publicado, qual a duração dele (caso seja um vídeo) e qual é a localização (caso ela tenha sido inserida).
  • Informações sobre a pessoa que publicou: elas nos ajudam a ter uma noção do seu nível de interesse pelo conteúdo de alguém. Entre os sinais, está o número de vezes que as pessoas interagiram com alguém nas últimas semanas.
  • Sua atividade: ela nos ajuda a entender o que pode despertar o seu interesse e inclui sinais como o número de publicações que você curtiu.
  • Seu histórico de interação com alguém: ele nos ajuda a compreender o seu nível geral de interesse por publicações de uma pessoa específica. Um exemplo seria você comentar ou não nas publicações de alguém e vice versa.

Com base nisso, fazemos algumas previsões. Elas são suposições fundamentadas na probabilidade de você interagir com uma publicação de maneiras diferentes. Fazemos cerca de uma dúzia de previsões desse tipo. No Feed, as cinco interações que mais consideramos são a probabilidade de você ver uma publicação por alguns segundos, fazer um comentário nela, curti-la, salvá-la e tocar na foto do perfil do autor dela. Quanto maior a probabilidade de você realizar uma ação e maior a importância que atribuímos a ela, a chance de uma publicação aparecer no topo do seu Feed aumenta. De tempos em tempos, adicionamos e removemos sinais e previsões, para exibirmos cada vez mais apenas conteúdos relevantes.

Em alguns casos, levamos outros aspectos em consideração. Por exemplo, às vezes evitamos mostrar muitas publicações sucessivas da mesma pessoa. Outro exemplo são stories que foram "recompartilhados" no Feed. Até pouco tempo, dávamos menor importância a eles, pois as pessoas nos disseram várias vezes que preferem ver stories originais. Porém, percebemos um aumento no recompartilhamento de publicações durante eventos importantes, como na Copa do Mundo em manifestações. Nesses momentos, as pessoas esperavam que os stories delas tivessem um alcance maior, por isso, passamos a dar mais importância a eles.

Sempre tenderemos a permitir que as pessoas se expressem. Porém, quando uma pessoa faz uma publicação que pode colocar a segurança de alguém em risco, nós intervimos. Nossas Diretrizes da Comunidade se aplicam ao Instagram como um todo, não somente ao Feed e ao Stories. A maioria dessas diretrizes visa manter as pessoas em segurança. Se alguma publicação violar as Diretrizes da Comunidade e nós descobrirmos, ela será removida. Se isso for recorrente, poderemos impedir que a conta violadora compartilhe conteúdos no Instagram e até mesmo suspendê-la. Se você acreditar que cometemos um engano (e nós podemos errar), poderá solicitar uma segunda análise do caso ao seguir estas etapas.

Além disso, é importante falarmos sobre a desinformação. Se os verificadores de fatos independentes identificarem uma publicação como desinformação, ela não será removida. No entanto, incluiremos um rótulo nela e ela aparecerá mais abaixo no Feed e com menos frequência no Stories. Se alguém fizer publicações com desinformação diversas vezes, poderemos tornar todo o conteúdo dessa pessoa mais difícil de encontrar.

Como fazemos classificações no Explorar

O Explorar foi criado para a descoberta de conteúdos novos. A grade do Explorar é composta por recomendações, como fotos e vídeos que selecionamos. Ela é bem diferente do Feed e do Stories, em que a maioria do conteúdo é publicado pelas contas que você segue.

Novamente, a primeira etapa é definir as publicações que serão classificadas. Para encontrar fotos e vídeos que podem ser relevantes para você, observamos sinais como as publicações que curtiu, salvou ou que receberam comentários seus. Por exemplo, vamos supor que você curtiu algumas fotos da chef especialista em dumplings Cathay Bi (@dumplingclubsf), de São Francisco. Com base nisso, analisamos quem também curtiu as fotos da Cathay e as outras contas pelas quais essas pessoas têm interesse. Talvez as pessoas que gostam do conteúdo da Cathay também gostem do restaurante de dim sum @dragonbeaux, de São Francisco. Nesse caso, na próxima vez que você acessar o Explorar, poderemos mostrar uma foto ou um vídeo do @dragonbeaux. Na prática, se você demonstrar interesse em dumplings, poderá ver algumas publicações sobre tópicos relacionados, como guioza e dim sum. Isso não significa necessariamente que sabemos de que se trata cada publicação.

Quando encontramos um conjunto de fotos e vídeos de que você pode gostar, organizamos cada item pensando em qual poderá ser mais relevante, como fazemos no Feed e no Stories. A melhor forma de saber a relevância de algum assunto é prever a probabilidade de você interagir com uma publicação sobre ele. As ações mais importantes que prevemos no Explorar são curtidas, salvamentos e compartilhamentos. Os sinais mais importantes que analisamos são, em ordem aproximada de importância:

  • Informações sobre a publicação: nessa etapa, analisamos a popularidade de uma publicação. Os sinais abrangem comentários, compartilhamentos, salvamentos, bem como a quantidade e a velocidade de curtidas em uma publicação. Esses sinais têm uma importância maior no Explorar do que no Feed ou no Stories.
  • Seu histórico de interação com a pessoa que fez a publicação: provavelmente, a publicação foi compartilhada por alguém que você não conhece. Porém, se você interagiu com essa pessoa, talvez tenha interesse pelo que ela compartilhou.
  • Sua atividade: os sinais incluem publicações que você curtiu, salvou ou que receberam comentários seus, além de como você interagiu com as publicações no Explorar anteriormente.
  • Informações sobre a pessoa que publicou: os sinais incluem quantas vezes as pessoas interagiram com quem fez determinada publicação nas últimas semanas. Isso nos ajuda a encontrar conteúdos interessantes criados por uma grande variedade de pessoas.

Você não segue as pessoas que aparecem no Explorar. Por isso, quando aparece algum conteúdo problemático, a abordagem dessa questão é diferente. Se um amigo que você segue compartilhar algo ofensivo no Feed, esse assunto ficará entre você e o seu amigo. Porém, se no Explorar aparecer uma publicação ofensiva de alguém que você não conhece, a situação será diferente.

Por isso, além das nossas Diretrizes da Comunidade, temos regras para as recomendações de conteúdo em espaços como o Explorar: as Diretrizes de Recomendações. Nelas, orientamos a não fazer publicações sobre assuntos que podem ser considerados sensíveis ou desagradáveis. Por exemplo, não queremos exibir conteúdo que promova tabaco ou cigarros eletrônicos no Explorar.

Como fazemos classificações no Reels

O Reels foi criado para você se divertir. Assim como no Explorar, grande parte do conteúdo exibido no Reels é de contas que você não segue. Por isso, realizamos um processo similar em ambos. Primeiro, procuramos vídeos do Reels de que você poderá gostar. Em seguida, classificamos cada vídeo com base nos que acreditamos serem mais interessantes para você.

No Reels, priorizamos o que você achará divertido. Realizamos pesquisas e perguntamos às pessoas se elas acham que determinado vídeo do Reels é engraçado ou interessante. Com o feedback que recebemos, procuramos desenvolver estratégias melhores para descobrir o que é divertido para elas, principalmente em relação a criadores de conteúdo pouco conhecidos. As previsões mais importantes que fazemos são a probabilidade de você assistir a um vídeo do Reels até o fim, curti-lo, dizer que ele foi engraçado ou interessante e acessar a página de áudio (um indicador de que você pode ter ficado com vontade de criar o próprio vídeo do Reels). Os sinais mais importantes são, em ordem aproximada de importância:

  • Sua atividade: analisamos sinais como os vídeos do Reels que receberam curtidas ou comentários seus e com os quais você interagiu recentemente. Isso nos ajuda a entender os conteúdos que podem ser relevantes para você.
  • Seu histórico de interação com a pessoa que fez a publicação: assim como no Explorar, é provável que no Reels o vídeo tenha sido criado por alguém que você não conhece. Porém, se você interagiu com essa pessoa, talvez tenha interesse no que ela compartilhou.
  • Informações sobre o vídeo do Reels: os sinais incluem o conteúdo do vídeo, como a faixa de áudio, bem como a qualidade do vídeo em relação à resolução e à exibição em tela cheia, assim como a popularidade.
  • Informações sobre a pessoa que publicou: analisamos a popularidade para identificar conteúdos interessantes criados por uma grande variedade de pessoas, a fim de que elas tenham uma chance de encontrar o público ideal para o próprio conteúdo.

As Diretrizes de Recomendações do Explorar também valem para o Reels. Porém, há outros motivos pelos quais evitamos recomendar vídeos do Reels, como baixa resolução ou marca d'água e foco em temas políticos. Além disso, evitamos recomendar vídeos criados por figuras políticas, partidos ou representantes do governo ou criados por terceiros em nome deles.

“Shadowbanning”

Muitas vezes, somos acusados de silenciar ou banir pessoas do Instagram sem o conhecimento delas. Isso é conhecido como "shadowbanning", um termo genérico que descreve experiências muito diversas no Instagram. Reconhecemos que nem sempre fizemos o suficiente para explicar o motivo da remoção e da recomendação ou não de determinados conteúdos, além de como o Instagram funciona de maneira geral. Sabemos que isso leva as pessoas a tirarem as próprias conclusões sobre a experiência que tiveram, e elas podem se sentir confusas ou injustiçadas. Essa nunca foi a nossa intenção e estamos fazendo o possível para melhorar. Além disso, lidamos com milhões de denúncias por dia. Então, cometer um erro em apenas uma pequena parcela delas pode afetar milhares de pessoas.

Ouvimos também que, para algumas pessoas, receber menos curtidas ou comentários é um tipo de "shadowbanning". Não podemos prometer que todas as publicações sempre alcançarão o mesmo número de pessoas. Na verdade, a maior parte dos seus seguidores não verá o que você compartilha, pois a maioria deles olha menos da metade do que aparece no Feed. Porém, podemos ser mais transparentes em relação ao motivo da remoção de determinado conteúdo, reduzir a incidência de erros e corrigi-los o mais rápido possível, além de explicar melhor como funcionam os nossos sistemas. Estamos desenvolvendo notificações melhores no aplicativo, para que as pessoas saibam instantaneamente o motivo pelo qual o conteúdo delas foi removido, por exemplo. Também estamos explorando maneiras de avisar as pessoas quando elas publicarem algum conteúdo que viola as Diretrizes de Recomendações. Em breve, compartilharemos mais novidades e aprofundaremos esses tópicos ao longo da série de artigos.

Como você pode influenciar o que vê

A maneira como você usa o Instagram influencia bastante o conteúdo que aparece ou não na sua tela. Você ajuda a aprimorar a sua experiência simplesmente ao interagir com os perfis e as publicações de que gosta. Porém, há algumas maneiras mais explícitas de influenciar o que é exibido.

  • Escolha os seus Amigos Próximos: no Stories, você pode selecionar amigos próximos. Essa possibilidade foi criada para que você pudesse compartilhar stories somente com os seus amigos mais próximos. No entanto, também damos preferência a essas pessoas no Feed e no Stories.
  • Silencie as pessoas irrelevantes para você: é possível silenciar uma conta caso não queira mais ver o conteúdo que ela compartilha, mas não deseja deixar de segui-la. A pessoa dona dessa conta não saberá que foi silenciada.
  • Marque publicações recomendadas como "Não tenho interesse”: quando vir uma recomendação, seja no Explorar ou no Feed, você poderá informar que não tem interesse nela. Faremos o possível para não mostrar mais recomendações parecidas no futuro.

Explicar melhor como o conteúdo é classificado, exibido e gerenciado no Instagram é apenas uma parte do trabalho. Há mais coisas que podemos fazer para ajudar a moldar a sua experiência no Instagram com base nos seus interesses. Precisamos também continuar aprimorando a nossa tecnologia de classificação e reduzir a incidência de erros. Daqui em diante, o nosso objetivo é explicar de maneira proativa o trabalho que realizamos nos três espaços do aplicativo. Não perca as novidades!

ARTIGOS RELACIONADOS

Confira mais avisos