Para garantir que vozes negras sejam ouvidas

Adam Mosseri, Head do Instagram - Publicado em 15 de junho de 2020

Nas últimas semanas, vimos um movimento incrível acontecer ao redor do mundo e também dentro do Instagram. Vimos comunidades mobilizarem-se para exigir justiça e expressar solidariedade, apoiar negócios geridos pela população negra, elevar vozes negras e aumentar a conscientização sobre igualdade racial em todos os lugares.

Ao mesmo tempo, ouvimos preocupações sobre se nós suprimimos vozes da comunidade negra e se nossos produtos e políticas tratam todos igualitariamente. A ironia de sermos uma plataforma que eleva vozes negras, mas ao mesmo onde a população negra passa por assédio, tem medo de ser "shadowbanned" e discorda de remoções de conteúdo, não passou despercebida por mim. Esse é um momento em que pessoas ao redor do mundo exigem, com razão, ações em vez de palavras, e devemos o mesmo à nossa comunidade.

Começa por reconhecer experiências e desafios que grupos sub-representados, como a comunidade negra, enfrentam quando usam o Instagram. Fizemos um amplo trabalho para entender melhor o impacto que nossa plataforma tem em diferentes grupos e isso nos ajudou a chegar onde estamos hoje. Mas acho que há mais o que fazer em algumas áreas-chave, o que se encaixa nos compromissos mais amplos da empresa. Precisamos apoiar melhor a comunidade negra em nossa própria organização e em nossa plataforma.

Uma das maneiras que faremos isso será examinando mais detalhadamente como o nosso produto afeta diferentes comunidades, especificamente acerca de:

  1. Assédio: Qualquer esforço para resolver as desigualdades enfrentadas pela população negra deve começar com os problemas de segurança que ela enfrenta no dia a dia, dentro e fora da plataforma. Em seguida, precisamos abordar possíveis lacunas na maneira como nossos produtos e políticas protegem as pessoas desses problemas.
  2. Verificação da conta: estamos analisando nossos critérios de verificação atuais e faremos alterações para garantir que sejam o mais inclusivos possível. A verificação é uma área sobre a qual recebemos perguntas constantemente - quais são as políticas e se os critérios favorecem ou não alguns grupos mais que outros.
  3. Distribuição: analisaremos como o conteúdo é filtrado nas páginas Explorar e Hashtag para entender onde pode haver vulnerabilidade a viés. Além disso, precisamos ser mais claros sobre como as decisões são tomadas quando se trata de como publicações são distribuídas. Ao longo dos anos, ouvimos essas preocupações às vezes descritas nas redes sociais como "shadowbanning" - filtrar pessoas, sem transparência, limitando o alcance de seus posts. Em breve, divulgaremos mais informações sobre os tipos de conteúdo que evitamos recomendar na página Explorar e em outros lugares.
  4. Viés algorítmico: algumas tecnologias correm o risco de repetir os padrões desenvolvidos por sociedades enviesadas. Embora façamos muito trabalho para prevenir viés inconsciente em nossos produtos, precisamos examinar mais detalhadamente os sistemas subjacentes que construímos e onde precisamos fazer mais para manter qualquer viés de fora dessas decisões.

Esse trabalho levará algum tempo, mas traremos atualizações nos próximos meses, tanto sobre o que aprendemos e o que abordamos. Esses esforços não param com as disparidades que as pessoas podem experienciar somente com base na questão racial; também analisaremos como podemos servir melhor a outros grupos sub-representados que usam nosso produto. O feedback que recebemos ao longo dos últimos anos de comunidades como a LGBTQI +, ativistas de positividade corporal e artistas nos ajudou a criar um produto mais inclusivo.

Nosso objetivo é que o Instagram seja um lugar onde todos se sintam seguros, apoiados e livres para se expressar, e espero que este trabalho nos aproxime desse objetivo.

ARTIGOS RELACIONADOS

Confira mais avisos sobre Instagram